Por falta de provas, acusados da morte de Vanildo De Pombos são absolvidos pela justiça

241

Foram absolvidos nesta terça-feira (23) três dos quatro homens acusados de assassinar o cantor Vanildo Vitor Cavalcante, conhecido por Vanildo de Pombos, em julho de 2008. Durante o júri popular realizado na 4ª Vara do Tribunal do Júri da Capital do Fórum Tomaz de Aquino, no Recife, a promotora de Justiça responsável pelo caso pediu a absolvição dos três, alegando falta de provas.


Maurício Rodrigues Félix da Silva e Pedro Severino dos Santos Filho acompanharam o julgamento e foram interrogados pelo juiz Abner Apolinário, que presidiu a sessão.


O terceiro homem, Gilberto Manoel Leite, foi representado por sua defesa, que informou que justificou sua falta por causa de um pico de pressão sofrido durante a manhã desta terça-feira (23).


O quarto acusado, Marcelo Norberto Dias, não foi localizado pela Justiça e é considerado foragido. A sessão começou por volta das 9h, mas a sentença foi proferida pouco depois das 14h. Além do assassinato, os homens respondiam pelo crime de associação criminosa.


Dois dos acusados, Gilberto e Pedro, respondiam ao processo em liberdade. Maurício estava preso no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.


Após o julgamento, foi determinada a devolução de Maurício à Cadeia Pública de Monteiro, na Paraíba, estado onde ele responde a um processo na Justiça. O TJPE não soube informar o crime anterior do acusado.


“O acusado Gilson abriu mão do interrogatório. É um direito dele, porque ele foi representado pela defesa. Apesar disso, a promotora pediu a absolvição, porque considerou que não tinha provas suficientes para seguir com a acusação”, explicou o juiz Abner Apolinário.