Assassinos do cantor Vanildo de Pombos vão a Júri

320

10 anos após o crime, os acusados de assassinar o cantor paranaense Vanildo Vitor Cavalcanti, conhecido como Vanildo de Pombos, serão julgados nesta terça-feira (23), no Tribunal do Júri, no Fórum Thomaz de Aquino, no bairro de Santo Antônio, no Recife.


A sessão inicou às 9h. Maurício Rodrigues Félix da Silva, Marcelo Noberto Dias, Gilberto Manoel Leite e Pedro Severino dos Santos Filho vão à júri popular na 4ª Vara do Tribunal do Júri da Capital. A promotora de Justiça que atuará no caso é Paula Catherine de Lira Aziz Ismail.
O júri chegou a ser marcado para setembro, mas foi adiado porque a advogada de um dos réus pediu afastamento do caso.


Os acusados foram presos pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) cinco anos após terem cometido o crime. As investigações foram conduzidas pelo delegado Alfredo Jorge.


O crime que chocou a população, aconteceu em julho de 2008, na frente da casa onde o cantor morava, na cidade de Pombos.


Dois homens em uma moto dispararam vários tiros e fugiram em seguida.
Paranaense de nascimento, mas filho de pais pernambucanos, Vanildo Cavalcanti foi trazido ainda criança para a cidade que está localizada a 56 KM do Recife. Em 1980, quando começou a carreira, resolveu homenagear, em seu nome artístico, a cidade onde cresceu.


Além de cantor, Vanildo era músico, radialista e compositor, tendo em toda sua carreira mais de 300 canções próprias, das quais as mais conhecidas do público são: Minha resposta é o silêncio, Galope engalopado, Distante de mim e Preservar a Natureza.


Quando assassinado, Vanildo tinha 47 anos deixando esposa e 2 filhas.